[GUEST POST] Uma ferramenta com baixo custo, eficaz, poderosa e infelizmente pouco utilizada!

Resumo

Se quiser, pule para a parte do seu interesse:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O treinamento para motoristas é um grande aliado na gestão de riscos, mas antes de falar propriamente sobre esta importante ferramenta, vale a pena fazermos algumas reflexões.

 

No mercado de transporte de cargas, temos vários atores e uma série de regras, procedimentos, tecnologias etc. Entre os principais agentes, podemos listar as seguradoras, corretoras, gerenciadoras de riscos, consultores, embarcadores, operadores logísticos, transportadores, agenciadores e, por fim, os criminosos!

Uma operação de transporte que consiste basicamente em levar uma carga do ponto A ao ponto B é muito mais complexa do que parece. Por isso, nós, gestores de riscos, precisamos aliar tecnologia, inteligência e processos eficazes com o objetivo de mitigar os riscos.

Nos dias de hoje, em que o roubo de cargas cresce vertiginosamente, precisamos aliar ferramentas de forma inteligente e conciliar os recursos disponíveis, jamais esquecendo de utilizar todas as alternativas possíveis, desde as mais simples e baratas até as que demandam alta tecnologia e recursos.

Sabemos que a gestão de riscos é a análise de uma operação qualquer, identificando suas fragilidades e depois utilizando, de maneira inteligente, as ferramentas apropriadas com o objetivo de reduzir e controlar os riscos.

Ao contrário dos criminosos, além de utilizarmos a inteligência na escolha das ferramentas, nós ainda precisamos pensar nos custos desta utilização para que não tenhamos nossas operações inviabilizadas. Por outro lado, não podemos incorrer no erro de usar um número limitado e insuficiente de soluções de segurança, pois podemos pagar caro por deixar a operação sujeita aos riscos.

Com isso em mente, vamos à ferramenta: Treinamento de Motoristas!

Quem já frequentou uma central de monitoramento de veículos e teve acesso às estatísticas sabe que, em 95% dos casos, o trabalho do operador é o de correção do motorista – ou o ‘famoso’ falso positivo. Isto se dá porque, infelizmente, estes profissionais – que são a base da pirâmide de nossas operações – não são treinados como deveriam e o investimento neste profissional está muito aquém do necessário.

As interações entre operador e motorista – que ocorrem por motivos que vão desde uma parada indevida, uso de macro errada e acionamento indevido do botão de pânico a bloqueios e autobloqueios – travam as operações. A comunicação é tensa e, pior, estas situações tiram o foco do operador para as ações e eventos que realmente demandam atenção e intervenção. Como resultado, gera-se um alto número de alertas que poderiam simplesmente ser resolvidos com investimento em treinamento dos motoristas.

Por outro lado, quem conhece uma operação na qual os motoristas são treinados, reciclados, ranqueados e premiados sabe que o percentual de falsos positivos é baixíssimo, o número de alertas cai drasticamente e a operação é muito mais tranquila. Assim, o risco diminui consideravelmente, a logística flui, a tensão reduz, o custo operacional cai, as taxas de seguro ficam mais baratas, a colocação no mercado fica mais fácil e o sucesso vem!

Quando pensamos em treinamento, precisamos ter em mente que é uma ferramenta contínua e exige mudança de cultura. Não adianta utilizarmos este recurso a cada seis meses, um ano, apenas quando aparece algum problema ou ainda quando se troca uma determinada tecnologia: o treinamento deve fazer parte do dia a dia dos motoristas – profissionais vitais para o sucesso da operação.

Mesclar treinamentos presenciais com treinamentos a distância, antes dos embarques, em pontos de parada, com aferição e acompanhamento de resultados é de suma importância para a operação.

Hoje existem ótimos treinamentos no mercado, tanto presenciais quanto a distância, que podem inclusive ser personalizados de acordo com cada operação e, para a surpresa de todos, custam menos do que a realização de um cadastro!!! Isto mesmo, treinar um motorista sai mais barato do que realizar um cadastro!

Todos nós, envolvidos nas operações de transportes, precisamos dar valor a esta poderosa ferramenta que, aliada a outras, pode nos dar tranquilidade em nosso dia a dia, mesmo atualmente!

Lembre-se: operação de transportes sem treinamento de motoristas está fadada a maus resultados!!

 

Tony Geraldes – Formado em Administração de Empresas, atua no mercado de gerenciamento de riscos há 15 anos com passagens por algumas das maiores gerenciadoras de riscos do mercado. É fundador da TG Consultoria.

Tony Geraldes

Senior Loss Prevention

Empresa: Moraes Velleda

e-mail: tony@moraesvelleda.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open News!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das principais novidades no mundo dos transportes.

Posts relacionados

© 2021 Opentech Soluções em Gerenciamento de Risco e Logística. Todos os direitos reservados.
© 2021 Opentech Soluções em Gerenciamento de Risco e Logística. Todos os direitos reservados.