Entregas super-rápidas: qual o futuro desse novo modelo logístico?

Resumo

Se quiser, pule para a parte do seu interesse:

Compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Os consumidores online estão cada vez mais exigentes, isso é fato. Eles desejam valores baixos, sites com navegabilidade intuitiva, diversas opções de pagamento, variedade de produtos e entregas super-rápidas.

É neste cenário que se encontra o mundo da logística; um mercado altamente competitivo e dinâmico, onde as regras do jogo são ditadas quase que totalmente pelo o que o consumidor deseja. Sendo assim, são muitas as ações e estratégias adotadas para que empresas logísticas consigam vencer esses desafios.

Porém, antes de rápidas, as entregas precisam ser confiáveis. E-commerces que oferecem o acompanhamento ponta a ponta do processamento e entrega last mile personalizada estão em vantagem em relação aos concorrentes, mesmo que não seja apenas sobre isso.

Em grandes centros de consumo, como Nova York e Tokyo, receber suas compras online a curto prazo já é uma realidade. Ainda que existam muitos varejistas que não adotaram as entregas expressas, os consumidores, atualmente, enxergam a existência dessa opção como algo que toda loja deve ter.

Agora, em que momento se encontra as entregas super rápidas no cenário brasileiro? Quais são os desafios para que elas ocorram? Como ela vem evoluindo em nosso panorama? Leia esse artigo até o final e descubra qual o futuro desse novo segmento logístico. Boa leitura!

Quais são os desafios da logística de entregas super-rápidas?

Por se tratar de uma tendência logística do futuro, implementar a logística de entrega super-rápidas é a solução perfeita para quem deseja fidelizar novos consumidores.

Apesar disso, esse modelo traz uma série de desafios, pois exige alta performance operacional, parceiros alinhados e um novo posicionamento estratégico da sua marca perante o mercado.

Para que um serviço de entrega super-rápida seja ofertado, deve-se assumir que existam estoques perto do consumidor final, de forma que o tempo entre a aprovação do pagamento do pedido e a entrega last mile possa ser completado dentro de poucas horas. Ou até mesmo minutos!

Logicamente, faz mais sentido adotar essa logística de entregas em locais com maior concentração de potenciais consumidores, que são onde os centros de distribuição costumam ser estrategicamente posicionados para otimizar a cadeia logística.

Varejistas que possuem pontos físicos distribuídos pela cidade, também podem ampliar seu alcance transformando suas lojas em novos centros de distribuição.

Além das questões estruturais, você deve avaliar, desde o carrinho de compra, a viabilidade de executar a entrega last mile na modalidade super-rápida, levando em consideração o horário atual, estoque e planejamento logístico. Neste caso, a transparência com seu cliente deve vir em primeiro lugar.

Quais são as vantagens da logística de entregas super-rápidas?

Caso você consiga estruturar todo o planejamento operacional da logística de entregas super-rápidas de forma adequada, as vantagens serão bem claras.

De acordo com a pesquisa realizada em 2018 pela Global Consumer Insights Survey da PWC, que contou com a opinião de mais de 22 mil consumidores online espalhados em 27 países, 88% dos compradores online estão dispostos a pagar mais por uma entrega super-rápida.

Esse é um dado muito valioso, já que o custo de frete e tempo de entrega last mile ainda são os fatores mais determinantes na hora do cliente abandonar seu carrinho e desistir da compra online. Ainda que a oferta de entregas super-rápidas precise ser considerada pelos varejistas, o cumprimento da promessa de entrega é ainda mais importante.

De acordo com a pesquisa Webshoppers de 2017, os produtos que geraram maior insatisfação nos clientes online foram opções de frete (16%), entregas no prazo (14%) e acompanhamento do pedido (13%), mostrando ainda o quão sensível é a distância entre promessa e entrega.

Um dado que fornece mais detalhes é a pesquisa realizada na Shoptalk, uma das maiores conferências sobre e-commerce do mundo. Nesta foram analisados os gaps entre promessa e entrega last mile por categorias de produtos do same-day delivery, um modelo logístico que se propõe a entregar a mercadoria no mesmo dia que o pedido foi feito.

A partir dessa pesquisa, é possível entender que, mesmo nos maiores centros mercantis do mundo, os modelos logísticos de entrega super-rápida ainda enfrentam desafios:

Como a logística de entregas rápidas vem evoluindo no cenário brasileiro?

As entregas super-rápidas ainda não são uma realidade no Brasil. Apenas algumas operações, localizadas especialmente na cidade de São Paulo, conseguem entregar produtos no mesmo dia que foram pedidos. Isso também acontece no Rio de Janeiro, mas de maneira muito limitada.

Com a queda das barreiras entre online e offline, promovida pelas ações omnichannel, veremos os centros de distribuição da maioria dos varejistas espalhados por todo o país, assim como suas lojas físicas, atuando também como CD’s e postos de entrega.

De acordo com matéria do Jornal da Franca, as entregas da Americanas realizadas em até 3 horas representaram 14% das vendas do online no primeiro trimestre de 2021. E a empresa diz que quer reduzir isso para minutos. “Nossa prioridade para 2021 é o desenvolvimento do modelo ultra fast delivery (entrega em poucos minutos).”

Outro exemplo é o Magazine Luiza, que anunciou no mês passado que fará entregas em 1 hora de produtos de até 6 kg. A empresa reformulou 75 lojas em todo o Brasil para garantir esse modelo logístico em 11 cidades.

Naturalmente, a logística de entregas super-rápidas está se espalhando, colocando em vantagem todas as empresas que investirem nesse modelo logístico.

De que forma as empresas estão implementando a logística de entregas super-rápidas no Brasil?

A Amazon é o melhor exemplo quando o assunto é inovação e logística.No começo de 2019, anunciaram o início de suas operações com estoque próprio, além do Marketplace, num grande centro de distribuição de 40 mil metros quadrados na cidade de Cajamar/SP.

O CD é estrategicamente localizado para suprir de forma rápida as demandas da cidade de São Paulo e também está perto de outros grandes centros do Estado de São Paulo, como Campinas.

Esse tipo de movimento tende a acelerar a resposta das outras grandes empresas, pois ninguém deseja ficar para trás. E quem também ganha com isso? Os clientes, já que as entregas last mile tendem a ser cada vez melhores e mais rápidas.

De um lado, a Magazine Luiza adquiriu a plataforma logística Logbee, do outro, o Mercado Livre não para de investir em avanços do seu serviço logístico interno, o Mercado Envios. Essas são ações que estão aí para mostrar que essa “briga logística” é uma realidade que tende a crescer cada vez mais.

Como diria Jeff Bezos: “os clientes sempre desejarão preços baixos, produtos de qualidade e entregas rápidas.”

Essa famosa declaração do CEO da Amazon é o que continuará ditando o futuro da logística e das estratégias que as empresas terão que implementar para conquistar e fidelizar cada vez mais clientes!


Deseja conhecer as inovações e novidades do setor de transporte e logística como a Indústria 4.0? Clique aqui e conheça a Indústria 4.0: a nova ordem mundial no transporte de mercadorias!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open News!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro das principais novidades no mundo dos transportes.

Posts relacionados

© 2021 Opentech Soluções em Gerenciamento de Risco e Logística. Todos os direitos reservados.

gestão logística

Solicite um orçamento

Preencha o formulário abaixo e solicite um orçamento.

    © 2021 Opentech Soluções em Gerenciamento de Risco e Logística. Todos os direitos reservados.