Os caminhões ideais para cada processo logístico

opentech-shutterstock_18840058-tipo-caminhao-logistico (1)

Na escolha da frota, são muitas as opções de modelos de caminhões, com especificações de diferentes tamanhos, capacidades e peso bruto. Em meio à variada oferta, a escolha do veículo ideal para cada processo logístico pode trazer grades benefícios e economia.

O CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) limita o peso máximo por eixo que pode ser carregado pelos veículos, o que faz com que a escolha do caminhão correto para o tipo de transporte também seja uma forma de gerenciamento de risco, diminuindo a chance de acidentes e a necessidade de frequente de manutenção, além de reduzir os custos da gestão logística.

Neste contexto, veja alguns dos principais modelos de caminhões para cada processo logístico:

Veículo Urbano de Carga

É o modelo de caminhão de menor porte, ideal para ser utilizado em áreas urbanas. Ele suporta transportar até 3 toneladas e possui as seguintes especificações: comprimento máximo de 6,3 metros, largura máxima de 2,2 metros e limite de emissão de poluentes.

Truck ou caminhão pesado

Possui eixo duplo na carroceria e pode carregar uma carga maior sem perder desempenho. Tem 14 metros de comprimento e pode levar de 10 a 14 toneladas. Pode ser utilizado em transportes intermunicipais através de rodovias.

Caminhão extra pesado

Esses modelos ainda tem pouca oferta no Brasil e têm capacidade para até 56 toneladas. Podem ser utilizados no transporte agrícola.

A lista completa de tipos de caminhões pode ser conferida neste link  http://bit.ly/J82VSF.

Dessa forma, o uso do caminhão ideal é uma das melhores maneiras de preservar a carga e todo processo logístico.

Os caminhões ideais para cada processo logístico
2 votes, 5.00 avg. rating (96% score)
  • Fábio Trindade

    Acredito
    que as empresas transportadoras deveriam ter dento de suas políticas, um
    monitoramento sobre o peso dos veículos após o carregamento, ou antes, do
    início de cada viagem… uma vez esse peso excedido, além dos desgastes previstos
    do próprio veículo, há o que conferimos no ultimo post do BLOG ESTRADAS
    DEFICIENTES: http://www.opentechgr.com.br/artigos/blog/estradas-deficientes-geram-dificuldade-para-a-logistica-2/,
    veja o caos que é no Espirito Santo, em uma das minhas viagens para lá,
    conversando com alguns “locais” me confirmaram o que eu vi, “é normal motoristas furarem o sinal
    vermelho”, todos precisam passar pelo posto, e um semáforo indica se o
    veículo deve ou não parar na balança, o que acontece? Vermelho… eles fogem,
    ao questionar o motivo fui informado o seguinte: todo o dinheiro da multa fica para
    o posto, onde na minha opinião deveria ser revertido em reformas de rodovias
    entre outros… Sabemos em quase metade dos acidentes com transporte de carga,
    há um veículo acima do peso. O Dnit é o órgão responsável por multar e
    acompanhar todo o processo de “pesagem”, os infratores fogem porque sabem a
    morosidade que é o acionamento da PRF para esses casos, onde não há comunicação
    entre os órgãos!