Brasil no ranking de riscos no transporte

ranking br

Estudo Internacional indica que risco para transporte de carga em SP e RJ está entre os mais altos do mundo

Informações disponibilizadas por uma instituição britânica que avalia o risco para seguradoras em diversos países mostram que, de fevereiro a março, o Brasil saltou de 10º para 6º num ranking que indica em quais locais do mundo existe maior ameaça de riscos no transporte de cargas.

• Empatados na 1º colocação estão Sudão do Sul, Afeganistão, além de Iêmen, Líbia e Síria;

• Empatados na 6ª colocação, além do Brasil, estão Iraque e Somália,

O ranking leva em conta fatores como áreas em guerras e por onde as cargas correm risco, por exemplo, de passar por regiões onde ocorrem ataques aéreos. No caso do Brasil, o risco citado é o roubo das cargas transportadas.

O ranking da JCC Cargo Wacthlist é elaborado mensalmente e elenca os países em “faixas de risco”, de acordo com os índices apurados pela instituição. As denominações vão de “baixo” a “extremo”. Com 3,7 de risco para o transporte de cargas, o Brasil se enquadra na faixa “muito alto”, a duas posições do patamar mais grave.

Em fevereiro, em relação ao Rio, o aumento se dá principalmente pelo crescimento do número de roubo de cargas na comunidade do Chapadão, na Zona Norte, local já conhecido dos fluminenses pela prática do crime. A associação caracteriza o local como “santuário do crime organizado”, onde “facilmente ocorre o armazenamento e venda da carga roubada”.

Também são citadas como pontos perigosos as cidades de Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana; os bairros de Santa Cruz, Campo Grande, na Zona Oeste da Capital; a BR-040 (Rio-Teresópolis) perto de Magé; e a BR116 perto da Serra das Araras.

Em São Paulo, “o índice de roubos de carga é ainda maior”, destaca a instituição, em documento preparado em parceria com a empresa de informação e análise IHS Markit. O texto afirma ainda que São Paulo abriga 48,47% das ocorrências brasileiras de roubo de cargas, enquanto o Rio responde por 33,54%.

Sobre o Estado de São Paulo, o relatório da JCC cita como vias mais perigosas principalmente trechos de grandes rodovias como a Anhanguera (SP330), Dutra, Régis Bittencourt, Bandeirantes e Castelo Branco.

Fonte: Site http://www.setcesp.org.br/noticias-visualizar/ver/26707, 20 março de 2017

Brasil no ranking de riscos no transporte
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)